quarta-feira, 12 de outubro de 2016

12 De Outubro

Ele tem teu mesmo signo, amor. Teu mesmo gosto musical, mesmo cabelo comprido que eu tanto amava passar a mão. Às vezes ele fala igual você, diz que tenho o sorriso bonito, elogia meu cabelo, tem um abraço apertado igual o teu. Às vezes ele me lembra você, mas ele não é você.
Entenda, descobri essa semana que ainda gosto de você. Tentei fingir que não, que estava tudo bem e que já estava seguindo em frente com a minha vida. Demorou pra aceitar, mas enfim o momento chegou. Foi doloroso, súbito, me deixou sem ar. Lembrei de quando nos conhecemos, da forma como me escolheu, daquele abraço gostoso que deu ao me cumprimentar. Lembrei do nosso último dia juntos, lembro-me que perguntei se só queria a mim, e você disse sim. Me apeguei a este pensamento, mas não deu. Depois daquilo nos afastamos. Queria eu ter dito tudo que sentia antes que fosse tarde demais, dito o quanto te queria e o quanto teu abraço me fazia bem. Houve outra chance, porém, eu teria te dito ali, mas você havia seguido em frente. Fiquei sabendo que ela era de sagitário, e, assim como eu, amante da liberdade. Tinha os mesmos olhos puxados, bochechas salientes e cabelos negros que tanto gostava.
Pelo visto deu certo pra você. Já pra mim...

Tudo ficou sem graça depois disso e, por mais que fosse parecido, ele nunca seria você. Nunca me faria sentir o que senti quando estive com você. Triste, realmente. Ele é muito mais dedicado, me entendeu melhor e até me amou mais que você. Mas, de novo, ele não é você.