sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Sobre: Arriscar-se




Por todas as vezes que eu compartilhei aquelas frases sobre arriscar-se, nenhuma vez pensei que realmente teria que fazê-lo. Na verdade, acho que nunca o fiz. Nunca pulei de cabeça em algo que não tinha certeza, sempre pensei muito antes de fazer as coisas, de dizê-las. Mas agora, perdida em um sentimento de perda, penso que poderia ter feito mais, feito melhor. De todas as vezes que quis e não fiz, senti mas não disse, tudo me volta agora. Teria sido diferente? Teria sido melhor?
 Deixo as coisas me escaparem com uma facilidade que me assusta. E o pior? Assisto tudo ir embora como se não pudesse fazer nada. Mas adivinha... Eu posso, e simplesmente não faço nada. É sempre assim. E as vezes me pego pensando que talvez seja por este motivo que vivo essa bagunça, essa confusão dentro de mim. 
Guardo muitas coisas que deveriam ser jogadas ao vento, desabafadas. E agora tudo o que me resta é o peso do que não foi dito, não foi feito. Hoje peço uma oportunidade para fazer melhor, me esforçar mais... A questão é que as coisas não são quando quero, e sim quando devem. Hoje desabafo em um pedaço de papel, sobre um amor perdido. Um amor que deixei escapar. 

PS: Se arrisque mais!

— Renata Santos